Acelerada digitalização em curso no agronegócio brasileiro também já chegou ao financiamento, tendo como protagonistas as agrofintechs

*Por Conteúdo Creditares

Recente estudo da consultoria McKinsey sobre a “Cabeça do Agricultor na Era Digital” revela, entre outros destaques, que no tocante ao financiamento, 39% dos produtores realizam operações de barter para obtenção de insumos. Ao fazermos um recorte para os produtores de grãos no Cerrado, o percentual sobe para 49%.

Quais breves conclusões tiramos? A primeira é que o próprio avanço do barter no agro brasileiro, que nada mais é, lembremos, um escambo sofisticado, mostra que o crédito rural oficial já há um bom tempo é insuficiente, o que fez o setor se movimentar em busca de outros modelos – mesmo que simplórios de financiamento.

Ainda de acordo com a pesquisa, os principais critérios para escolha do mecanismo de barter, por parte dos produtores, são a percepção de vantagem econômica e de conveniência do formato de negociação. Qual a outra conclusão? Que boa parte dos produtores passou, pela força do hábito, a operar no automático na busca por financiamento, na zona de conforto, deixando de acessar fontes, que oferecem mais e melhor crédito, com segurança e maior praticidade.

A mesma transformação digital, que acontece no dia a dia bancário das finanças pessoais, está ocorrendo no financiamento agrícola

Crédito rural

Este salto, por exemplo, já está mais claro na comercialização, conforme mostra este mesmo levantamento ao acentuar que 50% dos produtores estão dispostos a vender metade da produção em negociações on-line. A diversidade de sites de comércio eletrônico está aí para provar.

O fato é que a acelerada digitalização em curso no agro brasileiro também já chegou ao crédito, tendo como protagonistas as agrofintechs. A mesma transformação digital, que acontece no dia a dia bancário das finanças pessoais, está ocorrendo no financiamento agrícola.

E o produtor que rapidamente começar a operar neste ambiente digital de crédito conseguirá melhores condições, sobretudo em relação ao custo de capital para financiamento.

A CREDITARES está pronta para tornar o seu negócio elegível a estas novas oportunidades de crédito, contribuindo para sua melhor tomada de decisão.


*Não espere o novo Plano Safra! Antecipe-se e garanta mais e melhor crédito a taxas promocionais reduzidas!

>> A agenda do crédito rural está mudando. Quer saber das novas oportunidades de financiamento agrícola? Fale com o time de especialistas da Creditares e tenha acesso a novas fontes de recursos, tornando o seu negócio agro elegível para este novo mercado.

*QUERO SABER MAIS SOBRE O NOVO CRÉDITO RURAL!


:: Notícias relacionadas:

Crédito rural: Agrofintechs têm grande potencial para financiar o produtor, diz CNA


Crédito rural: produtor, você está atrasado no planejamento da safra 2021/22?

Crédito rural: produtores e produtoras rurais: a trilha para acessar mais e melhor crédito


Crédito rural: próximo Plano Safra vai esbarrar no ajuste fiscal


Crédito rural: Ministério da Agricultura vê como avanço expansão da política de diversificação das fontes de financiamento para o agro


Crédito rural: Demanda do agronegócio é superior ao que é ofertado pelas fontes oficiais, diz CNA


Crédito rural para custeio antecipado beneficia planejamento do produtor

Crédito rural: Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs) avançam no custeio da produção


CNA discute prioridades na política agrícola em 2021

Agenda de financiamento do agro é cada vez mais vinculada à captação no mercado privado