Primeira operação registrada na B3 levantou cifra próxima a R$ 50 milhões, aumentando o portfólio de instrumentos de captação de recursos privados para o agronegócio

*Por Conteúdo Creditares

As operações por meio dos Fundos de Investimento do Agronegócio (Fiagro) começaram a ganhar corpo. A primeira oferta registrada na B3 levantou cifra próxima a R$ 50 milhões, e outras estão sendo endereçadas.

Instituído pela Lei 14.130/2021, o Fiagro surge com o objetivo de ampliar o portfólio de instrumentos de captação de recursos privados para o agronegócio. Do ponto de vista do investidor, um fundo possibilita a diversificação do risco assumido, o que tende a ampliar a liquidez do mercado. É um instrumento complementar a outras formas de financiamento que os agentes do agronegócio, incluindo os produtores rurais, já podem tomar.

“O Fiagro surge como um novo instrumento para financiar o produtor rural”, disse o diretor técnico da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Bruno Lucchi, nesta última quinta-feira (9), em webinar realizado pela entidade em parceria como Instituto Brasileiro de Direito do Agronegócio (IBDA).

Já o presidente da Comissão Nacional de Política Agrícola da CNA, deputado José Mário Schreiner (DEM-GO), afirmou que a política de crédito oficial brasileira é importante para a atividade, porém financia apenas 30% do volume necessário para a safra. “Por isso defendemos constantemente a busca por novas fontes de financiamento. O Fiagro é uma ferramenta, um instrumento, que veio pra ficar e vai colaborar muito para o financiamento no setor”.

A agenda do crédito rural está mudando. Quer saber das novas oportunidades de financiamento agrícola? Fale com o time de especialistas da Creditares e tenha acesso a novas fontes de recursos, tornando o seu negócio agro elegível para este novo mercado.

*QUERO SABER MAIS SOBRE O NOVO CRÉDITO RURAL!



Crédito rural

Autor do Projeto de Lei que criou os fundos de investimento no agronegócio, o deputado federal Arnaldo Jardim (Cidadania-SP) afirmou que o Fiagro não só revoluciona os investimentos no setor, mas também o mercado de capitais. “Os fundos vêm para criar instrumentos mais estáveis. Uma das vantagens de o produtor ter o imóvel integrado a um fundo é a segurança jurídica, pois ele passa a repensar sua relação de arrendamento”, afirmou.

De acordo com os especialistas duas questões se sobressaem com o surgimento do Fiagro: governança e transparência. A governança é considerada um pré-requisito do mercado de capitais, pois o investidor lá na ponta vai demandar. E a transparência é um ponto que tende a favorecer o mercado como um todo, já que tem efeito na precificação dos produtos e em como as transações estarão sendo feitas, criando um ambiente amigável para os produtores acessarem recursos.

>> A agenda do crédito rural está mudando. Quer saber das novas oportunidades de financiamento agrícola? Fale com o time de especialistas da Creditares e tenha acesso a novas fontes de recursos, tornando o seu negócio agro elegível para este novo mercado.

*QUERO SABER MAIS SOBRE O NOVO CRÉDITO RURAL!



:: Notícias relacionadas:

Remanejamento de recursos no Plano Safra evidencia necessidade de diversificação das fontes de crédito rural


Creditares recebe investimento para impulsionar modelo de open banking no crédito rural


Mercado privado tem apetite para financiar o produtor rural


Alta da Selic encarece financiamentos, inclusive agrícolas


B3 passa a negociar os Fundos de Investimentos do Agronegócio (Fiagro)


Saiba o que é o open banking


Comissão de Agricultura da Câmara destaca nova agenda de crédito para o agronegócio


Crédito rural: captação de recursos em fontes não controladas cresce 32% na safra 2020/21

Creditares completa um ano, alavancando mais de R$ 50 milhões em crédito para o agronegócio


Reajuste dos juros no novo Plano Safra reafirma mudança na agenda do crédito rural


Crédito rural: Agronegócio teme juros mais altos e menos recursos equalizados no novo Plano Safra


Crédito rural: Volume ofertado pelos bancos privados para os produtores rurais aumentou mais de 20%, diz Febraban


Crédito rural: FIAgro vai ampliar e tornar mais acessível recurso privado para o produtor rural

Crédito rural: pesquisa revela quais são as principais dificuldades para o produtor acessar o financiamento agrícola


Captação de crédito rural em fontes não controladas cresce 6% na safra 2020/21


Desbloqueio de recursos subvencionados do Plano Safra depende de votação de Projeto de Lei, afirmam ministérios da Agricultura e da Economia


Crédito rural: títulos verdes avançam como alternativa de financiamento no agronegócio


Bloqueio do Plano Safra atual e aumento de incertezas quanto ao próximo acentuam necessidade de nova agenda para o crédito rural


Crédito rural: BNDES lança nova modalidade de operação destinada a alavancar recursos privados ao agronegócio

Crédito rural: Cortes orçamentários colocam em risco novo Plano Safra, diz Ministério da Economia


Produtor precisa de instrumentos mais modernos para captação de crédito rural, diz FPA


Creditares é selecionada para programa de capacitação e aceleração do Sebrae


Crédito rural: Corte no orçamento da União para o agro ameaça Plano Safra

Captação via Letras de Crédito do Agronegócio cresce 30% no acumulado da safra 2020/21

Ferramentas digitais entregam mais e melhor crédito para o produtor


Crédito rural: Agrofintechs têm grande potencial para financiar o produtor, diz CNA


Crédito rural: produtor, você está atrasado no planejamento da safra 2021/22?

Crédito rural: produtores e produtoras rurais: a trilha para acessar mais e melhor crédito


Crédito rural: próximo Plano Safra vai esbarrar no ajuste fiscal


Crédito rural: Ministério da Agricultura vê como avanço expansão da política de diversificação das fontes de financiamento para o agro


Crédito rural: Demanda do agronegócio é superior ao que é ofertado pelas fontes oficiais, diz CNA


Crédito rural para custeio antecipado beneficia planejamento do produtor

Crédito rural: Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs) avançam no custeio da produção


CNA discute prioridades na política agrícola em 2021

Agenda de financiamento do agro é cada vez mais vinculada à captação no mercado privado